Acontece em Curitiba

4 passos para colocar seu som no Spotify, Google Play e Deezer

Publicado por em 07/12/2017 às 20h42

Spotify

As plataformas de streaming e download abriram um cenário sem volta no modo como se ouve, compra, aluga ou vende-se música. Sites como Spotify, Google Play, Deezer e Tidal revolucionam diariamente a forma como o público consome música e também como os músicos são remunerados por disponibilizar a sua arte nestes espaços digitais. Somente no Spotify, 140 milhões de pessoas estão cadastradas – segundo informações da própria plataforma – e o site disponibiliza mais de 30 milhões de músicas em 61 países. 

“O que nem todo artista sabe é como tornar os serviços digitais rentáveis financeiramente. Nas plataformas de streaming o preço é variável. No Spotify, por exemplo, o público tem acesso ao serviço gratuito e pago, que custa cerca de R$ 20. O pagamento ao artista equivale a 75% das execuções e segue critérios como o tipo de usuário (gratuito ou pago) e inserções em propagandas”, explica o músico paranaense Saulo Soul, que recentemente ingressou nas plataformas. 

Já os sites que trabalham com download têm preços fixos para disponibilizar música e cada artista também recebe 75% de cada arquivo baixado. Porém, o caminho não é tão simples e por isso surgiram empresas especializadas em auxiliar artistas independentes na viabilização e comercialização do que produzem. Uma delas é a Tratore, que há mais de 15 anos atua auxiliando artistas de todos os gêneros musicais e foi a empresa escolhida por Soul para ajudar nessa etapa. 

“Eu estava em uma banda e tinha terminado de produzir vários discos em 2002. Foi quando percebi que não existia uma empresa que ajudasse os artistas a colocar a música nas lojas. Começamos aí e com o surgimento do digital investimos nesta área, tanto que hoje a empresa é mais digital do que física”, conta Maurício Bussab, diretor e fundador da Tratore. 

A Tratore não é gravadora nem estúdio, é uma distribuidora de música, considerada a maior da América Latina. “Somos especializados na viabilização e comercialização da produção independente. O que a gente faz é levar os produtos independentes até as lojas e sites de acesso a música”, detalha Bussab. 

E foi exatamente para tornar o caminho da rentabilização da sua música mais fácil que Saulo Soul procurou a distribuidora. Confira os quatro principais passos seguidos por ele para que isso acontecesse: 

1 Registre a sua obra 

“O primeiro passo é registrar a sua obra. Eu comecei registrando minhas canções em uma instituição de direitos autorais. No meu caso foi feito na UBC (União Brasileira dos Compositores)”, conta Soul. 

2 Tenha uma ISRC

“A partir daí, a UBC gerou o meu ISRC (International Standard Recording Code), um código que é imprescindível para prosseguir com o todo o processo de registro da obra. Sem ele a sua música não tem dono. Então fiz os cadastros em meu nome, como autor, compositor, intérprete e produtor fonográfico”, elenca o músico. 

3 Encontre uma distribuidora 

Procurar uma distribuidora foi o passo seguinte, já que inserir o conteúdo nas plataformas de streaming de forma rápida é um caminho tortuoso. “Procurei uma distribuidora digital e ela se encarregou de todo o processo, desde contato com a imprensa, códigos das músicas, organização dos pagamentos e todas as formalidades do processo. Achei muito prático e recomendo para todos os artistas que não têm gravadora e utilizam as plataformas de streaming. As distribuidoras sabem como receber os direitos autorais e conseguem ter um domínio maior sobre todo o conteúdo que um artista coloca na internet”, diz. 

4 Monitore a distribuição 

O processo das distribuidoras, em geral, é transparente, e os artistas têm acesso em tempo real a venda e de todo o trabalho da empresa. Na Tratore, por exemplo, os artistas possuem login e senha para saber o desempenho de seu trabalho. “Eu acho o trabalho das distribuidoras imprescindível. É muito mais tranquilo do que fazer por conta própria e tenho pleno domínio sobre a minha obra, o que era a minha principal preocupação”, avalia Saulo Soul. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Categoria: Negócios
Tags: artista, Deezer, Google Play, Saulo Soul, Spotify

Enviar comentário

voltar para Acontece em Curitiba

left show tsN fwR fsN|left tsN fwR|left show fwR tsN bsd b01s|bnull||image-wrap|news c05|fsN normalcase tsN fwR bsd b01|b01 c05 bsd|login news normalcase c05 fwB|tsN normalcase fwR bsd b01|normalcase fwR c05|content-inner||