Acontece em Curitiba

Aumenta o número de idosos no ensino superior

Publicado por em 18/07/2018 às 18h10

Aumenta o número de idosos no ensino superior

A população idosa do Brasil já era a quinta maior do mundo em 2016, segundo o Ministério da Saúde. A previsão para 2030 é de que o número de idosos no país ultrapasse o total de crianças entre zero e 14 anos. “Uma das consequências dessa inversão na pirâmide social é a presença cada vez maior de pessoas com mais idade no mercado de trabalho e nas instituições de ensino”, explica Benhur Gaio, reitor do Centro Universitário Internacional Uninter.

De acordo com o Censo-2016 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), das mais de 8 milhões de pessoas matriculadas em cursos de graduação, presenciais e a distância, cerca de 24 mil têm idade superior ou igual a 60 anos.

“Essa fatia da população será convocada para o mercado de trabalho, já que não haverá reposição suficiente de mão de obra mais jovem. Ou seja, as instituições de ensino verão a presença cada vez maior de pessoas com mais idade procurando qualificação para corresponder às demandas do mercado”, comenta Gaio.  Atualmente, a Uninter contabiliza mais de 450 alunos acima de 70 anos, inclusive cursando MBA’s.

Layla Salmen Vale, de 86 anos é uma delas. Ela cursa Letras (Licenciatura) na modalidade a distância (EAD) da Uninter de Governador Valadares (MG). A história de Layla é como a de muitos idosos brasileiros.  Casou-se aos 22 anos, teve 10 filhos e não conseguiu terminar os estudos quando era jovem. Com 34 anos, iniciou o ginásio, e, aos 38 anos, começou a trabalhar com Magistério. Mas sempre teve o sonho de fazer um curso de ensino superior. “Fiquei muito feliz com a possibilidade de voltar a estudar. Agora, com tecnologia da internet, poderei aprimorar os meus conhecimentos em casa, com a ajuda da minha nora”, conta Layla.

A estudante se matriculou no centro universitário por indicação do filho, Emílio do Vale, que está cursando Geografia na mesma instituição. Pouco deslocamento, flexibilidade de horário e ritmo de estudo definido pelo aluno são alguns dos diferenciais do EAD. “Há mais de dez anos ele ouvia a mãe dizer que queria fazer um curso superior, mas não havia nenhum próximo da sua região”, conta Daniel Magalhães, gestor do polo Uninter em Governador Valadares.

Para facilitar o acesso desse público às ferramentas disponibilizadas pela Uninter, os alunos contam com o suporte de uma professora de informática para apresentar individualmente todos os processos para a realização dos cursos. Para as provas presenciais, por exemplo, um instrutor fica à disposição caso ele tenha dificuldade para digitar. “Como sabemos que a tecnologia é um entrave para esse perfil de estudante, buscamos acompanhar de perto para garantir o melhor aproveitamento”, conclui Magalhães.

Sobre o Grupo Uninter

O Grupo UNINTER é o maior centro universitário do país, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).  Sediado em Curitiba (PR), já formou mais de 500 mil alunos e, hoje, tem mais de 200 mil alunos ativos nos mais de 200 cursos ofertados entre graduação, pós-graduação, mestrado e extensão, nas modalidades presencial, semipresencial e a distância. Com 700 polos de apoio presencial, estrategicamente localizados em todo o território brasileiro, mantém quatro campi no coração de Curitiba. São 2 mil funcionários trabalhando todos os dias para transformar a educação brasileira em realidade. Para saber mais acesse uninter.com.

Imagem: Divulgação. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Categoria: Notícias
Tags: Ensino Superior, Idosos, Uninter

Enviar comentário

voltar para Acontece em Curitiba

left show tsN fwR fsN|left tsN fwR|left show fwR tsN bsd b01s|bnull||image-wrap|news c05|fsN normalcase tsN fwR bsd b01|b01 c05 bsd|login news normalcase c05 fwB|tsN normalcase fwR bsd b01|normalcase fwR c05|content-inner||