Acontece em Curitiba

Instituições de ensino superior e o desenvolvimento regional

Publicado por em 21/01/2019 às 19h21

ensino

Por Renata Adriana Garbossa Silva*

O fim do século 20 e início do século 21 foram marcados por uma reestruturação das escalas espaciais no planeta, que inaugurou uma nova fase na sociedade brasileira. Somada à globalização, alterou as estruturas produtivas e as relações técnicas e sociais de produção. Diversos padrões organizacionais e territoriais foram modificados, com impactos políticos, econômicos, sociais, culturais, ambientas, tecnológicos e, sobretudo, educacionais.

No campo educacional, as mudanças foram verificadas com a criação de um número expressivo de Instituições de Ensino Superior (IES), bem como sua interiorização, alterando a dinâmica do território. No Paraná, o cenário já descrito provocou a passagem de um Estado fundamentalmente agrícola para um Estado urbano e industrializado, que demandava mão de obra qualificada.

De acordo com o discurso neoliberal, presente nos formuladores da política econômica paranaense, a passagem para o modelo industrial promoveu desenvolvimento econômico e impulsionou negócios em diversas cidades. Algumas delas passaram a ser polos territoriais de comercialização e industrialização de bens e serviços. Nesses locais, a demanda por qualificação e especialização da força de trabalho era maior. Portanto, buscava-se nas IES formas de atender às demandas do mercado.

A relação existente entre as universidades e o desenvolvimento é estreita, podendo ser endossada pela literatura econômica, em que se sustenta a educação como fator de extrema relevância para o avanço de um País. Portanto, as IES contribuem para o desenvolvimento local e regional, uma vez que apresentam papel ímpar no desenvolvimento das regiões brasileiras. Isso porque criam e disseminam novos conhecimentos e inovações.

A relação entre desenvolvimento e essas instituições pode ser usada, também, para explicar as origens das desigualdades territoriais na produção e distribuição da renda nacional.

A influência das IES sobre determinadas regiões tem sido apontada como fator de transformação local e regional. Não se pode mais contar de forma exclusiva com a atração de empresas de grande porte ou de novos empreendimentos para promover desenvolvimento. É preciso fomentar ações para formação do capital humano, pois as IES geram, sistematizam e difundem conhecimentos científicos e culturais. Contribuem para transformação social e econômica em todos os países, mas principalmente naqueles que estão em desenvolvimento, como o Brasil.

As IES têm a missão de gerar e transmitir conhecimento, formar capital intelectual, incentivar as inovações e promover a transferência de tecnologias. Com isso, desencadeia-se um processo de mudança econômico-social por meio da criação de um ambiente intelectualmente diferenciado. Este facilita o processo de transformação das estruturas produtivas da região onde está localizado, ocasionando fluxos financeiros e monetários. O mercado de trabalho passa a contar com um número significativo de profissionais qualificados, com ampliação do acervo local de conhecimento, concretizando processos efetivos de inovação.

* Renata Adriana Garbossa Silva é coordenadora do curso de Geografia do Centro Universitário Internacional Uninter.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Categoria: Social
Tags: Desenvolvimento, Ensino Superior, Instituições de ensino, Reestruturação

Enviar comentário

voltar para Acontece em Curitiba

left show tsN fwR fsN|left tsN fwR|left show fwR tsN bsd b01s|bnull||image-wrap|news c05|fsN normalcase tsN fwR bsd b01|b01 c05 bsd|login news normalcase c05 fwB|tsN normalcase fwR bsd b01|normalcase fwR c05|content-inner||