Saúde

O que são feridas crônicas dos membros inferiores?

Publicado por Guia Amo Curitiba em 11/08/2016 às 00h01

MehlAs feridas crônicas caracterizam-se como aquelas lesões que não cicatrizaram espontaneamente e que têm longa duração, podendo perdurar por meses, anos e até décadas. Elas apresentam recorrência frequente, mesmo que o paciente conte com cuidados médicos e de enfermagem.

A cronicidade de uma lesão pode estar associada a problemas locais e sistêmicos, como tamanho da ferida, localização, existência de necroses, infecção local, indicação errada de curativos e manejo inadequado da ferida. Como fator de complicação, as feridas apresentam contaminação e colonização de bactérias multiresistentes, que, com a presença de processo infeccioso associado, pode evoluir para a osteomielite e sepse.

No grupo das feridas crônicas estão inclusas as úlceras de membros inferiores de origem vascular, que podem ser venosas, arteriais ou mistas, cuja maior dificuldade é a recidiva, já que, se não tratadas adequadamente, 30% das úlceras cicatrizadas voltam em um ano e 78% após dois anos. As úlceras venosas ocorrem por falha de retorno venoso, acarretando na hipertensão venosa e, consequentemente, tornando os capilares mais permeáveis. Isso faz com que moléculas maiores, como os glóbulos vermelhos, extravasem para o espaço extravascular. Nessa condição, basta um pequeno trauma para que a úlcera se desenvolva. Já as úlceras arteriais são o resultado da inadequada perfusão dos membros inferiores, ocasionado pela obstrução completa ou parcial do suprimento arterial para pernas e pés.

Além das úlceras vasculares, outros tipos de feridas crônicas são bastante comuns, como as úlceras neuropáticas (frequentes em portadores de diabetes ou hanseníase e em alcoólatras), as lesões por pressão e as originadas devido a doenças autoimunes, como artrite reumatóide e lúpus eritematoso sistêmico.

Cicatrização

São inúmeros os fatores que interferem no processo cicatricial, como idade, alimentação, higiene pessoal, tabagismo, presença de doenças anteriores (diabetes, por exemplo) e o uso de corticosteróides. Grande parte das úlceras com infecção pode ser tratada ambulatorialmente, mas a presença de uma ulcera torna o paciente mais suscetível à infecção, o que constitui a causa mais comum de internações prolongadas.

Falar em feridas crônicas significa reconhecer um ciclo vicioso dentro do sistema de saúde, implicando em altos custos de hospitalização, reinternações, complicações e curativos. Além disso, o paciente sofre física e emocionalmente, já que lida com as dores, o aumento do risco de mortalidade, o tempo de reabilitação e o afastamento de suas atividades de trabalho e lazer.

Dr. Adriano é o Médico Responsável pelo Núcleo de Prevenção e Tratamento de Feridas e Pé Diabético no Plunes Centro Médico, localizado em Curitiba (PR).

 

 

 

 

 

Categoria: Saúde
Comentários (0)

Terapias Complementares de Saúde

Publicado por Guia Amo Curitiba em 27/07/2016 às 00h01

Curitiba é Polo Brasileiro em Terapias Complementares de Saúde

 Antes perseguidas, “terapias alternativas” ganham reconhecimento crescente da Medicina


A saúde é um conceito amplo e que comporta várias abordagens.  O método derivado de Galeno (médico, farmacêutico e filósofo romano da antiguidade), tido como cartesiano, se afirmou no tempo e embasa a maioria das abordagens terapêuticas hoje sancionadas pela ciência. Contudo, desde o antigo Oriente, formas complementares de tratamento, como a Acupuntura, mantêm níveis de sucesso encorajadores e na segunda metade do século XX invadiram o Ocidente.

Curitiba é hoje um dos principais polos brasileiros em terapias complementares de saúde, uma vez que sedia, há 20 anos, uma das maiores e mais bem equipadas clínicas naturoterápicas do Brasil.

A Clínica Bezerra de Menezes é uma clínica de Saúde Multiprofissional das Faculdades Integradas Espírita, que oferece à população, a preços módicos, atendimentos em Acupuntura, Auricoloterapia, Cromoterapia,  Fitoterapia, Florais, Geoterapia, Hidroterapia, Iridologia, Reiki, Reflexologia, Parapsicologia, Trofoterapia, Tui-ná e Zen Shiatsu. O atendimento é feito por alunos e professores que integram os Cursos de Naturoterapia e Fitoterapia da Faculdade Espírita. De acordo com a Professora Lurdes Guimarães, integrante do Conselho Diretivo da Faculdade, “a clínica é uma das principais contribuições da Faculdade Espírita para a cociedade. Há anos ela vem oferecendo técnicas comprovadas para a saúde á população, cumprindo, assim, um relevante papel social.”

Dentre estas terapias, algumas já foram oficialmente reconhecidas pela Medicina ortodoxa, como a Acupuntura. Ao contrário da medicina galênica, o que embasa as terapias complementares, antes chamadas de “alternativas”, é a filosofia de Hipócrates, que sustenta o Vitalismo: conceito de que a vida não é resultado da matéria, antes, se manifesta nela, e que a doença resulta de um desequilíbrio na energia de vida, afetando a posteriori órgãos físicos. O Vitalismo é a mesma filosofia que sustenta a Homeopatia. Aliás, foi na Faculdade Espírita de Curitiba que a primeira Pós-Graduação em Homeopatia do Brasil iniciou seus trabalhos, na década de 70, sob o comando do Dr. Javier Salvador Gamarra, um dos maiores nomes mundiais da área.

Os atendimentos na Clínica Bezerra de Menezes são feitos com hora marcada e a preços simbólicos. Os pacientes podem passar por uma bateria de procedimentos, com vários profissionais. Aliás, a Clínica conta com um dos únicos complexos de Hidroterapia do Paraná, que inclui sauna, banhos, duchas, compressas terapêuticas etc. Para Jamil Salloum Jr, Assessor de Comunicação da Faculdade, “a clínica vem se revestindo de um papel essencial na contribuição que dá na afirmação das Terapias Complementares, cada vez mais aceitas e reconhecidas.”

Uma das características das terapias complementares em saúde é que são menos invasivas e com menores efeitos colaterais do que os tratamentos da medicina tradicional, contudo, os terapeutas holísticos sustentam que suas abordagens são complementares, nunca substitutivas, à medicina ortodoxa.

 

Serviço:

Clínica Dr. Bezerra de Menezes

Endereço: Rua Tobias de Macedo Jr, 246 – Santo Inácio- Curitiba.

Telefone: (41) 3155-7120

E-mail: atendimento@faculdadeespirita.com.br

Mais informações: www.faculdadeespirita.com.br/clinica-de-saude/

 

 

 

 

Categoria: Notícias, Saúde
Comentários (0)

Curitiba é referência mundial

Publicado por Guia Amo Curitiba em 12/07/2016 às 12h00

Curitiba é referência mundial no diagnóstico e tratamento da Anemia de Fanconi

Considerada uma doença rara, a patologia atinge crianças e adolescentes e gera complicações graves, como leucemia, insuficiência da medula óssea e outras

curitiba

 

Pouca gente sabe, mas o Brasil é referência mundial no diagnóstico e tratamento da Anemia de Fanconi, uma doença tão rara quanto devastadora para as crianças e os adolescentes atingidos por ela. Há 10 anos, o índice de sobrevida de pacientes com a enfermidade girava em torno de 20%. Hoje esse número aumentou para cerca de 95%, graças ao trabalho inédito do Serviço de Transplante de Medula Óssea (STMO) do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (HC/UFPR), onde as expertises médicas em torno da doença foram intensamente desenvolvidas.

A maioria das crianças e jovens que desenvolvem a Anemia de Fanconi, ao chegar próxima dos 20 anos, possui grande chance de desenvolver câncer de boca e pescoço. "É uma doença grave, de ordem genética, que atinge crianças e adolescentes e gera outras complicações extremas, como leucemia, insuficiência progressiva da medula, anomalias no esqueleto e alterações renais. A doença não tem cura. Mas, se diagnosticada cedo, é possível curar sua principal complicação hematológica: a falência da medula óssea", explica a presidente do Instituto TMO, Regina Bruni. Por isso o alerta sobre como detectar os sinais primários da doença é tão importante.

O Instituto TMO, entidade sem fins lucrativos que atua no apoio aos centros de transplante de medula óssea, luta para incluir a doença no protocolo de doenças graves brasileiro. "O tratamento é viável, a ampliação da sobrevida é mais do que possível e nós temos essa expertise. Não há motivos para o Brasil virar as costas para suas crianças atingidas pela Anemia de Fanconi. Como referência mundial no assunto, podemos ajudar não apenas os nossos pacientes, mas cooperar com o tratamento de crianças e adolescentes no mundo todo”, destaca Regina.

Recentemente, o Instituto TMO produziu um vídeo que ilustra bem essa história e colabora para o processo de sensibilização social. Para assistir ao filme, CLIQUE AQUI.

Sobre o TMO

Fundado em 1988 por um grupo de empresários, o INSTITUTO TMO é uma entidade beneficente, sem fins lucrativos, de apoio aos Centros de Transplante de Medula Óssea do Brasil. Na capital paranaense, seu trabalho é direcionado ao Serviço de Transplante de Medula Óssea (STMO) do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, e atualmente está formatando novas diretrizes para ampliar seu trabalho por todo o país.

Através da realização de eventos e projetos sociais, o TMO busca promover a integração entre pacientes em tratamento e comunidade. O sucesso desse trabalho é fruto da parceria entre profissionais da área de saúde e voluntários, que se unem com o único objetivo de salvar vidas.

Mais informações: www.institutotmo.org.br

 

 

Categoria: Notícias, Saúde
Comentários (0)

Nariz “trancado” é melhor ir ao médico!

Publicado por Guia Amo Curitiba em 04/07/2016 às 00h01

“Descongestionantes nasais viciam e podem fazem mal para a saúde”, adverte o otorrinolaringologista do Hospital IPO, Paulo Mendes Jr.

O alívio rápido àquele sintoma de obstrução nasal pode sair mais caro do que se imagina, tudo porque aquelas gotas chamadas de vasoconstritores, além do resultado durar muito pouco, são viciantes e podem causar até em pessoas com propensão.

“Esse medicamento em uso prolongado causa perfuração no septo nasal, sangramentos, arritmia cardíaca, aumento de pressão arterial e, com isso, naquelas pessoas que têm propensão e, por exemplo, artérias do coração obstruídas, pode provocar um infarto do miocárdio”, explica o otorrinolaringologista do Hospital IPO, Paulo Mendes Jr.

Segundo o especialista, esses medicamentos à base de nafazolina e/ou oxazolina são tão viciantes que não é raro encontrar pessoas que não saiam de casa sem tê-los no bolso. “Vemos pessoas que ficam angustiadas se estiverem sem o medicamento”, afirma. O médico conta que, devido ao tempo de duração ser muito curto e, geralmente, a obstrução retornar com mais intensidade os pacientes acabam usando cada vez mais o medicamento (chamado efeito rebote). “Consequentemente, a pessoa utilizará o remédio várias vezes ao dia e por muitos meses, o que ocasiona uma rinite medicamentosa”, explica.

De acordo com Mendes Jr., o único remédio de uso nasal que pode ser usado pela maioria das pessoas é aquele feito a base de soro fisiológico. “Hipertensos devem ter cuidado com este tipo de medicamento, mas no geral, as pessoas podem utilizá-lo para hidratar, limpar e auxiliar a descongestionar o nariz”, explica. “Temos que lembrar que não se deve utilizar nenhuma medicação sem a prescrição médica”, alerta.

Como fazer então?

O médico explica que o principal a se fazer nos casos de obstrução nasal é buscar saber a origem do problema, que pode ser, por exemplo, uma rinite alérgica ou vasomotora – aquela ocasionada por mudanças de temperatura, cheiros fortes etc. “Um especialista poderá descobrir e oferecer o melhor tratamento”, lembra.

“Algo para ser fazer em casa para evitar esse problema é manter os quartos ventilados para evitar a proliferação de ácaros e evitar varrer a casa, dando preferência para o pano úmido ou aspirador, métodos de limpeza que não espalham a poeira”, frisa.

Sobre o Hospital IPO

O Hospital IPO é especializado no tratamento de ouvido, nariz e garganta, e conta com uma equipe multidisciplinar de áreas relacionadas à otorrinolaringologia, otorrinopediatria e cirurgia plástica facial. Atualmente possui o único pronto-atendimento 24 horas da especialidade no sul do País, seis centros de tratamento, estrutura educacional volta a otorrinolaringologia, mais de 150 médicos atendendo em 20 especialidades e mais de 20 unidades de atendimento no Paraná e Santa Catarina. O grupo surgiu com união de um grupo de professores de medicina da Universidade Federal do Paraná, em outubro de 1992, para a criação de um centro especializado em otorrinolaringologia, otorrinopediatria e cirurgia plástica facial através de consultas, exames, procedimentos ambulatoriais e cirúrgicos. Em junho de 2000 inaugurou seu hospital, um edifício de 11 mil metros quadrados, dispostos em 10 andares, localizado em Curitiba, no bairro Água Verde.

Curitiba

 

Categoria: Saúde
Comentários (0)

left show tsN fwR fsN|left tsN fwR|left show fwR tsN bsd b01s|bnull||image-wrap|news c05|fsN normalcase tsN fwR bsd b01|b01 c05 bsd|login news normalcase c05 fwB|tsN normalcase fwR bsd b01|normalcase fwR c05|content-inner||